quinta-feira, 17 de março de 2016

Final de Bacteriologia.

Vou relatar nesse post sobre o exame final oral que realizei em dezembro de 2015.
Depois da cursada fatídica e traumática do quarto ano de medicina que terminou por volta de 20 de novembro passei a dedicar-me para os exames finais.
Pra quem tá por fora em muitas universidades públicas da Argentina o aluno cursa a matéria e aprova normalmente, depois disso tem um prazo médio de dois anos pra finalizar a matéria, muitas vezes o exame é oral, frente a frente com o professor titular ou adjuntos e você tem que degringolar ali na frente dele e falar tudo acerca da matéria na lata. Se não sabe o professor te manda pra casa/estudar. O exame é uma caixinha de surpresa, pode ser qualquer coisa acerca da matéria então deve-se ir muito bem preparado e sabendo tudo, se o aluno não realiza o exame ou não consegue a aprovação dentro do prazo, tem expirada sua condição e ele deve voltar a cursar a matéria mais uma vez pra recuperar a oportunidade de realizar o exame final.
Pois bem ia começar pela matéria de Bacteriologia e Virologia Médica, uma matéria que vinha me preparando desde março de 2015 mas nunca pude render, por não me considerar seguro de enfrentar o professor e porque o quarto ano me deixava tão atarefado que não conseguia estudar e ter a segurança mental de render o exame.
Então chegou dezembro e não faltava resumo e estudo de bacterio que deixei acumulado do pouquinho que fui estudando durante o ano. Cai em cima e comecei a estudar sozinho, peguei os temas tentei fazer gravação, escrever mas nada servia, o diferencial foi o exercício mental que eu fiz na ultima semana, pegava todos os temas lia, relia e depois mentalizava tudo como um livro na minha cabeça, decorado, mas sem ser aquela coisa ilógica e repetitiva e sim concatenada e fazendo sentido dentro da minha cabeça. Explicava pra mim mesmo didaticamente. Era eu ler um tema e já desenvolvia ele completamente. Por exemplo TBC (Tuberculose) Doença sobretudo pulmonar mas que pode afetar praticamente todos os órgãos e tem como agente etiológico 4 tipos de bactérias formando o complexo tuberculose, M.tuberculosis, M.bovis, M.africanum, M.microtii blablabla complicações evolução, disseminação tudo de clinica, diagnóstico com enfase no microbiológico, tratamento e por ai vai.
 Fiquei craque e sabia desenvolver todos os temas na ponta da língua, mas mesmo assim a incerteza do que virá no exame sempre te mata e multiplica a pressão, alem de você ir preparado, depende do tema que te toca falar, pode ser confortável ou dificultoso e sobretudo o humor do professor, pode vir paciente, impaciente ou de bom ou mal humor e esses detalhes influem muito no seu exame, oque te mata de nervosismo na prévia...
Assim que fui pro exame... sentei, professor titular com caras de poucos amigos e já sendo severo com os atrasados sem deixar render. me sentei no anfiteatro cada aluno longe do outro por um raio de 3 metros, então ele passou um por um e falava um tema do qual o aluno deveria ir desenvolvendo numa folha para organizar melhor as ideias e seria o tema inicial a falar e explicar no exame.
Quando ele veio olhou minhas duas folhas em branco viu se estavam em branco tudo e assinou elas, só poderia escrever e portar elas, e me disse. -Teu tema a desenvolver e falar é. Papiloma Vírus Humano. Primeiro achei super esquisito um tema bem incomum mas comecei a olhar o papel branco e anotar todas as cepas de interesse e lembrar bem as mais cancerígenas, principalmente, que indiscutivelmente são 16 e 18. Dai eu ia lembrando mais de Ginecologia e tudo associado a "cacu"
(sigla argentina para cancer del cuello del utero, ou cancer de colo uterino) Tema que vemos a exaustão em ginecologia, ia anotando tudo que vinha na minha mente e fiz uma bagunça na folha, depois, como vi que iria demorar a me chamar organizei as ideias e ia preparando o falatório  mentalmente na minha cabeça. Depois de muita espera chegou meu turno!
O professor titular começou a avaliar em dupla porque eram muitos alunos uns 70 e somente ele e um outro chefe de práticos pra avaliar todos.
Comecei falando do hpv, dos subtipos e das lesões que pode causar, formas de contagio e entrei no CA. de colo de útero, fiz um mapa da Argentina e fui sinalizando as áreas de maior prevalência, como ocorre o contagio, praticamente tudo de interesse que vi em Ginecologia, ele gostou bastante da visão ampla que tinha de epidemiologia e partiu pra outros assuntos, nisso ele me pediu pra falar acerca da influenza, eu parei pensei e falei, tem a bactéria haemophilus influenzae. Imediatamente ele me cortou disse que eu estava errado e não era isso que ele queria saber, me disse pra pensar e escolher bem minhas palavras e passou a avaliar o companheiro que estava ao meu lado... Fiquei muito bravo de ser cortado assim o exame perfeito que se ia desenhando teve seu primeiro tropeço, ativei o alarme interno e comecei a pensar e pensar em influenza, o outro jovem que estava ao meu lado se complicou e eu ganhei tempo até de escrever na folha um mapa conceitual de influenza que improvisei ali mesmo. Quando o professor voltou a atenção a mim eu "destruí" sendo um pouco ousado fui mais alem e comecei explicando o significado da palavra influenza, comecei a falar brevemente de historia, que começou na Itália que antigamente se usava o horoscopo e quando uma pessoa ficava doente, como gripado era sinal que estava sofrendo uma má influencia das estrelas e dai surgiu o nome da enfermidade, Influenza. O professor se mostrou surpreso, creio que nem ele Infectologista sabia daquilo hahaha, e parti para o lado dos vírus, comecei a falar das grandes epidemias, febre aviaria, febre espanhola, etc.
Esquema Vírus Influenza
Migração de aves na China provável transmissão para porcos e de ai para humanos e surgimento de novas enfermidades, o professor ia reagindo bem até ai, até que ele me parou e perguntou, como se diferenciam os vírus influenza? E respondi que eram pelo nome por exemplo H1N1, H5N1. E como que eu consigo diferenciar oque significa isso, e eu disse, pela capside... A superfície é composta por Hemaglutininas e Neuraminidasas e cada uma tem uma composição diferente que caracteriza o vírus, Por isso o H e o N no nome. O professor deu um sorriso e senti a aprovação perto rs. Pra finalizar ele sacou um ipad e me mostrou uma imagem de microscópio e deu as características, Essa imagem é de um LCR (liquido cefalorraquidiano) de uma criança de 2 anos e é uma bactéria GRAM positiva, oque você vê ai?

E fui falando, cocos... diplococos... - E oque você suspeita? -Hmm pode ser Streptococcus Pneumoniae? -Isso! Acertei em cheio, mais lembrando de um quadro que tinha lido falando das principais neuro infecções por idade, do que por pericia ao visualizar a imagem. Achei armadilha isso já que Neisseria Meningitidis afeta crianças nessa mesma faixa de idade e é um diplococo, porem é gram negativo hehe, ainda bem que a sorte estava do meu lado. Admito que descobri mais por intuição e por ter estudado do que capacidade de visualizar, que eu saiba até então nunca pediram pra descrever imagens em um exame final de Bacteriologia e Virologia, mas no fim deu tudo certo. O professor se deu por satisfeito e cravou nota 8 na minha livreta universitária. Sai feliz, depois de um ano arrastando tirei uma matéria importante.
Pode ter gente que pense, que fácil! Mas não é...
"Pantallazo" do que é bacterio e ainda tá incompleto e vai bem mais fino que isso!
 Além disso o professor enche cobra bastante a primeira parte da matéria, onde vai tudo que é laboratório, exames, esterilização, antibióticos e afins além de resposta imune a virologia e provavelmente algo que devo ter esquecido de citar rs.
Ai na foto é uma recordação da cursada onde eu, pessoa que vos escreve cedi bactérias da minha 'flora normal' da gengiva para serem vistas ao microscópio com coloração de gram e na ao lado, eu novamente realizando uma das etapas da coloração...
o mais engraçado e que lavei tanto que depois não tinha quase bactéria no campo pra ser visualizada, essas bola fora que todo principiante dá, né...
Mas depois deu pra ver bem.
Aqui vou finalizando o post... E hã.. Ao final do exame o professor me convidou pra ser ajudante de bacterio, quem sabe no futuro, gostei bastante da matéria.

11 comentários:

  1. Parabéns Carlos! Você tem garra!!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Carlos.

    Parabéns pela determinação e persistência. Eu gostaria de saber como estão os teus gastos mensais, haja vista que o Macri trouxe os preços públicos para a dura realidade e somado a isso, uma consequente dose generosa de inflação nos preços gerais.

    Obrigado.

    Kadu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kadu, eu to sobrevivendo... recebo o mesmo, consumo produtos de qualidade inferior agora e economizo mais, grande parte da população esta fazendo isso. Ao fim do ano vou subir o balanço geral estatístico de tudo como venho fazendo nos ultimos dois anos.

      Excluir
    2. Fé amigo. O governo mudou aqui. Está fazendo quase (o que é muito) tudo certo agora. O ano que vem a economia será radicalmente diferente. Provavelmente a inflação cairá e o real se valorizará novamente. Talvez o gigante adormecido (Brasil) acorde.

      Obrigado.

      Kadu

      Excluir
  3. Fé amigo. O governo mudou aqui. Está fazendo quase (o que é muito) tudo certo agora. O ano que vem a economia será radicalmente diferente. Provavelmente a inflação cairá e o real se valorizará novamente. Talvez o gigante adormecido (Brasil) acorde.

    Obrigado.

    Kadu

    ResponderExcluir
  4. olá Carlos meu caro e ilustre Academico ...uma pergunta...sim posso claro; na real em que ano de medicina vc esta? o que esta cursando? queria te fazer esta pergunta porque tenho um filho que estuda medicina na UNLAR tbm...de 2016 e ja esta no segundo ano digamos que retornou ao brasil de mochilas vazias ..isto é sem materias pra render , començou o segundo ano limpinho limpinho....!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo.
      Na data que escrevo isso, abril de 2017. curso o quinto ano de medicina, tenho 30 exames finalizados e faltam 10 matérias por cursar e 14 por finalizar para ter acesso ao internato e consequente formatura.

      Excluir
    2. Só tenho a parabenizar pelo compa brasileiro. Manter-se em dia com exames finais é a chave para se formar em 6 anos na unlar, no meu ponto de vista... em média menos de 15% da turma que começa se forma em 6 anos fechados tal é o rigor do curso e distribuição da carga horaria.

      Excluir
  5. me comentou que tem professores muito rigidos é inclusive que sim nao tiver um espanhol afinado fazem question de reprovar...desejo a vc é a todos aqueles que se aventuraram a fazer esta carrera o MAIOR sucesso ...fruto do conhecimento constante e dos esforços de superaçao de vcs GUERREIROS!

    ResponderExcluir